segunda-feira, 12 de maio de 2014

Poetas Ambulantes vão à Livraria Cultura lançar antologia

Já imaginou estar dentro do transporte público e se perceber parte de um sarau de poesia? Pois é o que vai acontecer nos coletivos que circulam pela Av. Paulista, no dia 03 de junho, quando os Poetas Ambulantes farão uma saída rumo à Livraria Cultura, do Conjunto Nacional, onde vai acontecer o lançamento da antologia “Uma vez Poeta Ambulante...”.

Esse é o primeiro livro lançado pelo coletivo e reúne poesias inéditas de mais de 20 poetas que frequentaram as atividades realizadas pelo grupo ao longo de 2012 e 2013. Além dos poemas, o livro traz uma porção de fotos feitas pela fotógrafa Renata Armelin, que acompanhou todas as saídas desse período, com o intuito de retratar, através de imagens, um pouco da emoção que as pessoas vivenciam nas intervenções que o grupo realiza.

Para comemorar o lançamento do livro, o coletivo fará a ação partindo pelos ônibus da Av. Paulista, sentido estação Paraíso (linha verde), e lá pegarão o metrô sentido Consolação, onde desembarcam e seguem a pé até a livraria. O sarau é aberto para participação dos passageiros e de poetas que quiserem se envolver na atividade, não há qualquer restrição.

O grupo surgiu há um ano e meio com a missão de levar poesia para o cotidiano das pessoas e, assim, despertar nelas o interesse e a paixão pelas palavras. É composto por seis poetas, Carolina Peixoto, Jefferson Santana, Lu’z Ribeiro, Mariane Staphanato, Mel Duarte e Thiago Peixoto.

Serviço:
Lançamento “Uma vez Poetas Ambulantes...”
Quando: 03 de junho de 2014
Encontro: 17h30 Saída: 18h
Onde: Em frente ao Banco Safra (Av. Paulista)
Destino: Livraria Cultura (Conjunto Nacional - Mezanino da loja de artes)
Início do evento na livraria: 19h

*O itinerário pode sofrer alteração no dia, caso ocorra algum imprevisto.

Mais informações para imprensa:
Thiago F. Peixoto
Email: thiago.fpeixoto@gmail.com

Tel.: (11) 2389-0514 / Cel.: (11) 97655-7238

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Bola, Lápis e papel

Poesia para inspirar a infância
Com o intuito de instigar a imaginação e o interesse por poesia em leitores mirins, recém familiarizados com a palavra, Carolina Peixoto, poeta paulistana, em sua primeira obra traz ao universo infantil uma miscelânea de poemas ricos em fantasias, folclore e brincadeiras.
Trata-se de uma obra voltada à crianças de 6 a 10 anos, com 20 poesias, onze delas ilustradas pela artista plástica e desenhista, Car Romano, que utilizou técnicas e traços inspirados no universo infantil, de forma que os leitores não somente se divirtam e viagem nos versos, mas também se encantem com nos traços e cores que os representam.
Carolina é agente cultural e professora, formada em pedagogia. Já teve poesias publicadas nos livros “Antologia DoBurro” (2012) e “Poetas do Sarau Suburbano Convicto vol.2” (2013) e é uma das idealizadoras do coletivo “Poetas Ambulantes”, grupo que distribui e recita poesias dentro dos transportes públicos de São Paulo.

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Slam do 13 - Edição especial

O Slam do 13, que é realizado toda última segunda-feira de cada mês,  inicia os trabalhos desse ano com uma edição especial, no dia 1 de fevereiro, na Batalha da Leste - competição de improviso entre Mcs. O Slam também é uma batalha, mas entre poetas com poesia já prontas, autorais, de até 13 segundos ou de até no máximo 3 minutos (são duas modalidades no Slam do 13, de poemas curtos e longos). A participação é livre, as inscrições são feitas na hora, basta levar três poesias para a modalidade que pretende concorrer (pode concorrer nas duas), pois são três rodas para decidir o ganhador. 
Essa cena vem crescendo muito na cidade e já começa a tomar uma proporção nacional. Atualmente, além do Slam do 13, existem outros quatro rolando pela cidade: o Zap!Slam, o Slam da Guilhermina, o Menor Slam do Mundo e o Slam do Grito. 
Não deixe de conhecer, veja abaixo as informações do evento.

Slam do 13 - Edição Especial
Data: 01/02/2014
Local: Saída do metrô Itaquera (lado do Itaquerão)
Horário: a partir das 15h

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Poetas Ambulantes homenageiam São Paulo

Esse Sábado o Poetas Ambulantes, grupo que há pouco mais de um ano promove saraus dentro dos transportes públicos de São Paulo, homenageia os 260 anos da cidade em uma saída poética pela linha azul do metrô. Para participar da ação basta encontrá-los pelo caminho que percorreram, veja abaixo as informações:

Dia 25 de janeiro de 2014
Encontro as 15h
Local: Metrô Jabaquara
Saída as 15h30
Destino: Pátio do Colégio

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Dia 21 tem saída dos Poetas Ambulantes


No próximo dia 21 o coletivo Poetas Ambulantes sairá pelos transportes públicos de São Paulo recitando e distribuindo poesia.
O grupo, que completa um ano de existência esse mês, saíra da estação Perus, linha rubi da CPTM, com destino ao sarau Perifatividade, situado na região do Ipiranga, no Bar do Boné.
Ao longo do trajeto o grupo estimula a participação dos passageiros, que quando se encorajam a declamar, levam um livro pra casa.
Todos podem participar e acompanhar essa saga poética do coletivo pela cidade, basta chegar com poesia e sorriso aberto!


Serviço:
Dia 21 de setembro
Encontro as 14h30, saída as 15h (Estação Perus - Linha Rubi da CPTM)
Destino: Sarau Perifatividade

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Embrionários versos revolucionários

A Conecta Brasil acaba de lançar mais um livro com seu selo editorial, Embrionários versos revolucionários, uma obra do comunicólogo Thiago Peixoto, poeta e agitador cultural, da zona sul de São Paulo. Em seu primeiro livro, Thiago expõe cada gota de sentimento que carrega consigo em um acervo de 70 poemas (alguns deles ilustrados), divididos em três capítulos – Revolucione sua mente, Revolucione seu coração e Revolucione seu mundo. 

Com poesias que passeiam pelo amor com a mesma naturalidade com que falam de questões sociais, Thiago combina ideias um tanto quanto complexas, com versos extremamente simples e diretos, propondo ao leitor um novo olhar tanto para os universos que o cercam, como para si, onde realmente tem origem toda e qualquer revolução. 

Mesmo descrente da mudança do mundo, Thiago milita na transformação de pessoas. Ele, que escreve há pouco mais de seis anos, considera sua obra embrionária não só por se perceber como um artista nos primeiros passos de sua trajetória, como também por enxergar nela um poder de engrandecimento, por isso escolheu esse título, sugerindo que seus versos se tornem embriões dentro das pessoas, para que cresçam e se revolucionem de alguma forma, seja no âmbito pessoal, profissional ou espiritual. 

Com 26 anos de idade, nascido e criado na zona sul paulistana, Thiago além de poeta é vocalista da banda Apologia Groove e um dos idealizadores do Poetas Ambulantes, grupo que promove saraus e distribui poesias dentro dos transportes coletivos e espaços públicos da cidade. Em 2012, foi o poeta campeão do ano no Slam da Guilhermina, uma batalha Spoken Word (palavra falada), disputada entre poetas com textos autorais de até três minutos. 

Como poesia não enche barriga (ainda), dentre outras especializações, Thiago é mba em comunicação coorporativa, analista de comunicação e repórter. Pública parte de seus poemas em seu blog: Disperso em Versos. 

Contatos: 
Email: thiago.fpeixoto@gmail.com 
Blog: dispersoemversos.blogspot.com 

terça-feira, 12 de março de 2013

Poetas Ambulantes, o coletivo dos Coletivos


Imagine que você está no trânsito caótico de São Paulo, em pleno horário de pico, dentro de um ônibus lotado. De repente a porta de traz se abre e algumas pessoas entram gritando, “poderíamos estar matando, poderíamos estar roubando, poderíamos estar ouvindo som alto (sem fone), poderíamos estar dormindo, babando no seu ombro, mas não, estamos aqui, humildemente invadindo seu dia, para recitar e distribuir poesia’’, pois é assim que o coletivo Poetas Ambulantes invade o fim de tarde de muitas pessoas para despertar sorrisos vencidos, olhares cansados, corações machucados e, principalmente, o interesse de todos por poesia e literatura.

O coletivo surgiu há pouco mais de seis meses, inspirado na atividade dos vendedores ambulantes que trabalham diariamente dentro dos coletivos da metrópole paulistana, porém, no caso dos poetas a poesia é distribuída e declamada gratuitamente, em troca de minutos de atenção. Em cada coletivo é uma ação diferente, pois a energia do público influencia diretamente no decorrer do sarau e nas escolhas das poesias. Os passageiros são encorajados a aplaudir, interagir com os ambulantes, podendo inclusive participar do sarau.

Todos os meses o grupo faz uma saída diferente, de uma extremidade da cidade com destino a algum Sarau que esteja acontecendo naquele mesmo dia. Nesse curto período de existência os poetas já fizeram essa intervenção no sarau da Cooperifa, Suburbano Convicto, Praçarau, Saraokê e, além disso, organizaram uma saída de natal, onde fizeram a arrecadação e distribuição de mais de 500 livros, no parque do Ibirapuera. 

O Poetas Ambulantes é composto pelos poetas: Carolina Peixoto, Jefferson Santana, Lu’z Ribeiro, Mariane Staphanato, Mel Duarte e Thiago Peixoto, ao lado da fotografa Renata Armelin, que são idealizadores e coordenadores do projeto. Além disso, conta com a participação de diversos outros poetas, amigos e parceiros durante as saídas.